/PUBLICAÇÕES

Acesse a Biblioteca de Publicações 
2020

Caderno de Textos Ariane Mnouchkine no Brasil

2020

Caderno de Textos Ariane Mnouchkine no Brasil – COLEÇÃO CADERNOS Vol.6 Edição Digital Núcleo do Ator UNIRIO

Este ano não será esquecido.

E hoje, mais do que nunca, precisamos das palavras de Ariane Mnouchkine.

Com as atividades presenciais suspensas desde março, em função da pandemia mundial do Corona vírus e da necessidade de isolamento social como medida de contenção do contágio, nossa UNIRIO resiste e se reinventa, através da disposição criativa, da ação empreendedora, do esforço administrativo de seus docentes, estudantes, técnicos e funcionários. No modo remoto, refazemos os planos de curso e damos andamento às nossas pesquisas institucionais e ações de extensão universitária. O momento de emergência sanitária, ao mesmo tempo que limita as atividades habituais, nos possibilita o surgimento de outros/novos modos de agir.

Assim, o sexto número da Coleção Cadernos, o Caderno de Textos Ariane Mnouchkine, inaugura a edição digital, e reforça a disponibilização do acesso à publicação universitária, ampliando e democratizando sua distribuição. Trata-se aqui, do resultado da transcrição de três conversas públicas com a diretora francesa do célebre Théâtre du Soleil ocorridas durante suas estadias no Rio de Janeiro em 2018 e 2019, por ocasião dos ensaios do espetáculo As Comadres, sob sua supervisão artística: o encontro no Teatro Poeira, que contou com a participação majoritária de artistas cariocas na plateia; a conversa com estudantes e professores da Escola de Teatro da UNIRIO, na Sala Branca; e a Aula Magna no Auditório Vera Janacópulus, no campus da Reitoria.

A dedicação e a paixão ao teatro, desta que é das mais importantes encenadoras do nosso tempo, se espalham por estas páginas através do seu discurso lúcido, prático, atual, mas sobretudo pela precisão das suas palavras que não separam o artista do homem, o teatro da vida. Em uma das conversas, Ariane diz que “é preciso aprender a celebrar as pequenas vitórias, principalmente porque, certamente, ela será seguida de uma derrota”. Por isto não recuamos em festejar, mesmo em meio ao caos e à incerteza, a aparição deste número realizado por várias mãos e esforços, neste ano incomum.

O “sol” não se apaga. Ao contrário, é luz que passa pelas frestas, vaza pelos buracos, surge muito antes do fim do túnel... e acorda nossa crença na força da imaginação e do desejo para transformar. Estejamos juntos!!

2020

DOSSIÊ MÚSICA E CENA DO THÉÂTRE DU SOLEIL

2020

DOSSIÊ MÚSICA E CENA DO THÉÂTRE DU SOLEIL. Revista Dramaturgias - N.14.Laboratório de Dramaturgia (LADI) da Universidade de Brasília

O dossiê foi construído por Jean-Marc Quillet, Fábio Cardozo de Mello Cintra, Mirko Mescia, Marcello Amalfi, Béatrice Picon-Vallin, Ariane Mnouchkine, Jean-Gabriel Carasso e Carlos Fragateiro, Julia Carrera, Ana Achcar, Fausto Viana, Marilyn C. Nunes e Alexandre S. Rosa. É interessante destacar que são autores que têm (ou tiveram) contato direto com Jean-Jacques Lemêtre e/ou com o Théâtre du Soleil. Isso faz com que os textos sejam como frutos colhidos diretamente no pomar multi-nacional semeado pela trupe nos seus mais de cinquenta anos de atividade e intinerância. Sem intermediações, sem informações depuradas, sem atravessadores. Por isso, exalam um aroma singular, como aquele que abraça o espectador que adentra os galpões da Cartoucherie de Vincennes numa fria noite parisiense para assistir um dos espetáculos da companhia, não sem antes aquecer o corpo e a alma ao degustar uma sopa divina preparada por Jean-Jacques Lemêtre e servida por Ariane Mnouchkine. Voila! Profitez-en!

2020

I Colóquio Sob a Luz do Soleil - Caderno de Comunicações

2020

Livro de comunicações do I Colóquio Sob a Luz do Soleil - SP/ 2019

Este caderno é uma compilação das comunicações apresentadas por ocasião do I Colóquio Sob a Luz do Soleil, realizado em julho e agosto de 2019, no Centro Cultural São Paulo.
O programa Estudos em Torno do Théâtre du Soleil foi um conjunto de eventos composto de um colóquio, reunindo 18 pesquisadores e artistas cujos trabalhos são inspirados na célebre companhia de teatro francesa dirigida por Ariane Mnouchkine, quatro oficinas apresentando diferentes pedagogias das máscaras e um cineclube composto por parte da filmografia do Théâtre du Soleil. Os eventos, que tiveram início no dia 6 de julho e se estenderam até agosto de 2019, aconteceram no CCSP, em parceria com os Programas de Pós-graduação em Artes Cênicas de universidades públicas (UNIRIO, UFRJ e UFBA), sob o aval de Ariane Mnouchkine e o Théâtre du Soleil.
O colóquio ocorreu na Sala Paulo Emílio Salles Gomes, com entrada franca, e foi composto pelas seguintes mesas: Processos formativos e filosofia do Théâtre du Soleil (Deolinda Vilhena, Marcia Falabella, Sergio Sálvia Coelho e Julia Carrera), Estética e influências nos processos criativos do Théâtre du Soleil (Ana Achcar, Fausto Vianna, Ronaldo Gama e Marcello Amalfi) e Experiências artísticas influenciadas pelo Théâtre du Soleil (Cia dos Bondrés/ Fabianna Mello e Souza e Cia Ave Lola/ Ana Rosa Tezza). O evento se encerrou com um bate-papo com a atriz franco-brasileira Juliana Carneiro da Cunha.

2020

Les Éphémères - Cinema no palco do Théâtre du Soleil

2020

Les Éphémères - Cinema no palco do Théâtre du Soleil, Editora Ghiostri

O livro propõe uma análise da obra de Ariane Mnouchkine e do Théâtre du Soleil a partir do estudo sobre as relações entre cinema e teatro, tendo como objeto principal o espetáculo Les Éphémères (2006). Investiga a influência da linguagem cinematográfica no processo de criação da cena teatral no espetáculo Les Éphémères e os desdobramentos deste no espetáculo seguinte da companhia, Os Náufragos do Louca Esperança.
Muito já foi dito sobre as criações cunhadas pelo uso da máscara teatral e o universo estético implicado nas criações coletivas. Este livro pretende ampliar o campo de discussão, levantando questões em relação à natureza híbrida dos espetáculos realizados depois dos anos 2000 e sua convergência para o teatro contemporâneo, especialmente no que tange às experiências de intermedialidade.